terça-feira, 5 de agosto de 2008

Mensagem ao Conselho de promotores do RS



O Conselho Superior do Ministério Público do Rio Grande do Sul aprovou relatório que pede a dissolução do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e que já serviu de base para oito ações judiciais contra sem-terra, que incluem proibição de marchas, autorização de despejos e deslocamento de acampamentos.

Os promotores objetivam também a intervenção nas escolas ligadas ao movimento. Essas escolas são verdadeiras “madrassas” – escolas de formação de terroristas - onde se incute na cabeça de jovens e adolescentes a doutrina comunista e o “culto” a seus “Heróis-Santos”, como Che Guevara, Stalin, Mao Tse Tung, Ho Chi Min etc.. São mais de 1800 escolas em todo o País, com currículo próprio eapoio financeiro do Ministério da Educação Mantêm diversos cursos exclusivos em Universidades.

Disse o promotor Gilberto Thums : 'Nós conseguimos, com a ajuda da Polícia Militar, identificar todos [os militantes do MST]'...'Quem invadir, quem depredar, quem praticar atos de vandalismo e de sabotagem vai ser preso, pois já estará identificado como integrante desse movimento. Vamos mover processo criminal contra eles'.

Criado em 1984, o MST já promoveu mais de 7.500 invasões, acompanhados de crimes violentíssimo como seqüestro e cárcere privado.A idéia do Ministério Público do Rio Grande do Sul é chegar ao ponto de proibir qualquer órgão do Estado de negociar contratos e convênios, com o movimento. “Cabe ao Ministério Público agir agora. Quebrar a espinha dorsal do MST”, diz um dos trechos do relatório.

A Brigada Militar por meio de seu comandante Cel. Paulo Roberto Mendes Rodrigues está dando todo o apoio à ação dos Promotores Públicos do Rio Grande do Sul

Três senadores da bancada governista estiveram na Assembléia Legislativa do RS para ouvir do coronel Paulo Roberto Mendes Rodrigues, comandante da BM, como a corporação vem tratando os movimentos sociais que fazem baderna no Estado. O coronel Mendes mostrou como a BM age e relatou as 13 ações de manutenção da ordem quando foi chamada a intervir. Na verdade, os senadores foram quase que intimados a comparecer no RS, pressionados pelo MST.

Mas o que está deixando o MST apreensivo é essa nova situação implantada no RS. As autoridades de segurança pública contam com o apoio do Ministério Público e do Poder Judiciário e a última ação de despejo dos sem-terra das imediações da Fazenda Guerra, em Coqueiros do Sul se transformou num recado explícito aos baderneiros. O advogado do MST, Juvelino Stronzake, deixou cair a máscara. Está respondendo às autoridades gaúchas que resolveram colocar o movimento na linha e dentro da ordem que o MST não pode ser dissolvido como querem as autoridades porque o movimento “não existe do ponto de vista legal”. Ou seja, é um movimento marginal e perigoso porque se esconde na sombra da legalidade.

Para o MST, trata-se da ofensiva jurídica mais dura de sua história. Como contra-ataque, o movimento promete denunciar a ação dos promotores em organismos internacionais, como ONU (Organização das Nações Unidas) e OEA (Organização dos Estados Americanos). Pediu também apoio da “sociedade” (leia-se ativistas, intelectuais, militantes e organizações de esquerda) em português, francês, inglês e espanhol, para que protestem contra a “criminalização” do movimento.

O Movimento Paz no Campo convida a todos a que manifestem seu apoio aos Procuradores do Estado do Rio Grande do Sul, na pessoa do Procurador Gilberto Thums e à Brigada Militar na pessoa de seu comandante Cel Paulo Roberto Mendes Rodrigues. Será enviada cópia de cada manifestação à Governadora Yeda Crusius e ao Procurador Geral da Justiça do Rio Grande do Sul Dr. Mauro Henrique Renner.

Mensagem ao Exmo. Sr. Procurador Gilberto Thums e ao Exmo. Sr. Cel Paulo Roberto Mendes Rodrigues

Uma cópia de sua mensagem será enviada à Governadora Yeda Crusius e ao Procurador Geral da Justiça Dr. Mauro Renner

Exmo. Sr. Procurador Gilberto Thums

E na pessoa de V.Excia. todos os Procuradores do Estado do RS

Exmo. Sr. Cel Paulo Roberto Mendes Rodrigues.

E na pessoa de V.Excia. todos os valorosos membros da Brigada Militar do RS

Uma onda de júbilo correu na opinião pública brasileira quando se tomou conhecimento de que o Conselho de Promotores do Rio Grande do Sul pedira a dissolução do MST e que estaria disposto a agir e para quebrar a espinha dorsal daquela organização.

Há mais de 20 anos, desde que foi criada em 1985, essa organização criminosa nunca sofrera um revés desse porte, como ela mesma confessou.

Seus integrantes fizeram mais de 7.500 invasões, depredaram patrimônio público e privado, seqüestraram, mantiveram cárcere privado e sempre se esconderam atrás de sua ilegal existência ou do apadrinhamento de autoridades governamentais, que lhe dispensavam gordas verbas e os recebiam com honras em seus gabinetes em Brasília.

Vossas Excelências, agindo dentro da lei e da ordem, numa ação magistral, enquadraram todos os "afiliados" sob a bandeira o MST, que agora podem ser processados criminalmente.

E Vossas Excelências fizeram mais. Colocaram na alça de mira as escolas de subversão daquele movimento criminoso. E nesse ponto estão salvando grande parcela de crianças e adolescentes que estariam fadados a serem escravos de um pensamento único comunista e desprovidos do saber dos outros compatriotas seus.

Estamos, como a maioria opinião pública nacional com Vossas Excelências. Não esmoreçam apesar de todo o barulho e das perseguições que lhes moverão com certeza.

Que Deus lhes ajude a continuar essa corajosa e benemérita ação.

Para assinar a mensagem:

http://www.fundadores.org.br/paznocampo/acao/100708/dCamp.asp?camp=4&oc=2

LEIAM : O CERCO SE FECHA - Clausewitz

Um comentário:

Clausewitz disse...

Olá, parabéns por seu blog competente e chique. Dê uma passada lá no resistência militar, que é de vários reacionários de peso... e dê uma linkada padrão... boa sorte!!

http://resistenciamilitar.blogspot.com